Saúde

Por que as curvas cervicais e lombares são conhecidas como curvas secundárias da coluna vertebral?

Por que as curvas cervicais e lombares são conhecidas como curvas secundárias da coluna vertebral?



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

As curvas secundárias da coluna se desenvolvem após o nascimento.

Thinkstock / Comstock / Getty Images

Durante o desenvolvimento fetal, a coluna assume o formato da letra "C", com a parte curvada do C voltada para a parte traseira e o lado aberto orientado para a frente do feto. Essa curva em forma de C é a curva primária da coluna vertebral e é adequada para os confinamentos do útero. Os recém-nascidos retêm essa curva primária e, com crescimento e maturidade, desenvolvem curvas secundárias, primeiro no pescoço e depois na região lombar.

Curva Cervical

Das duas curvas espinhais secundárias, a curva cervical da região do pescoço é a primeira a se desenvolver. Nos primeiros meses de vida, à medida que o bebê desenvolve força e coordenação suficientes para manter a cabeça erguida, a curva cervical começa a se desenvolver. Essa curva está na direção oposta da curva primária. Esse marco importante permite que a criança acesse visualmente seu ambiente. A perspectiva visual aprimorada contribui para marcos adicionais no desenvolvimento, como alcançar, agarrar objetos e rastreamento intencional.

Curva Lombar

A curva secundária da região lombar começa a se formar entre o quinto e o décimo terceiro mês de vida de uma criança. Essa curva, responsável pelo arco da região lombar, não é totalmente desenvolvida até que a criança atinja de 8 a 10 anos. O desenvolvimento dessa curva secundária é paralelo a outros marcadores de desenvolvimento, como sentar sem suporte e, eventualmente, ficar em pé, andando e correndo. O desenvolvimento dessa curva é essencial para a postura ereta humana. A curva lombar secundária não é bem desenvolvida em primatas não humanos, e sua configuração espinhal é menos adequada para uma postura ereta em comparação com os humanos.

Significado funcional

A curva primária que é retida na região da coluna torácica - abaixo do pescoço e acima da cintura - é classificada como uma curva de acomodação. Essa curva, complementada pela caixa torácica, acomoda os pulmões e o coração, fornecendo proteção e espaço adequados para a função ideal desses órgãos. As curvas secundárias nas regiões cervical e lombar são chamadas de curvas compensatórias porque se desenvolvem como um mecanismo compensatório para alterações no desenvolvimento da postura. Essas curvas compensatórias facilitam manter a cabeça erguida e caminhar ereta.

Importância clínica

As curvas espinhais primárias e secundárias e a forma das vértebras contribuem para a estabilidade estrutural da coluna. Com base em princípios de engenharia semelhantes aos responsáveis ​​por maior resistência na construção em arco, os engenheiros biomecânicos calcularam que uma coluna com o equilíbrio adequado das curvas primárias e secundárias é significativamente mais forte do que seria se fosse uma coluna perfeitamente vertical. Uma coluna com curvas subdesenvolvidas ou exageradas é mais propensa a lesões do que uma coluna com o equilíbrio adequado das curvas primárias e secundárias.